Ao redor da Cidade do Cabo, existem vinícolas espalhadas pela região de Cape Winelands. As duas principais são Franschhoek e Stellenbosch, e estão a mais ou menos 1hr de distancia da Cidade do Cabo — o que significa que é possível visitá-las em um passeio bate-volta. Contudo, a sugestão Travel é que deixem a Cidade do Cabo de dois a três dias para realmente imergir nessa experiência!  Se hospede em um dos hotéis aclamados da região, inclusive um deles, o Delaire-Graff, está mencionado no tópico “Onde ficar”. Outra opção é  alugar uma casa e desfrutar de privacidade em meio a vastidão do espaço (bem romântico!). 

A época das colheitas das uvas acontece de janeiro a março, no mais, o momento certo para ir às visitar as Cape Winelands depende da sua vontade de experienciar essa vivência no frio ou no calor.

Para chegar até lá,  recomendamos alugar um carro, o que te permite explorar no seu tempo, do seu jeito. As estradas são lindas, o GPS funciona bem, mas também é possível rodar apenas com um mapa em mãos para experienciar um passeio quase adâmico.  

 

Franschhoek

Há 50km da Cidade do Cabo, entre as Montanhas Groot Drakenstein, está Franschhoek. Uma província que, há centenas de anos, era morada-passageira de elefantes que vinham pela água para se reproduzir.  Assim foi até a chegada dos huguenotes franceses, que plantaram as primeiras vinhas há 300 anos e, com isso, os elefantes desapareceram.

Atualmente, a região é considerada a capital de vinhos do país. É composta por 43 vinícolas, entre elas as mais antigas e as  marcas mais aclamadas. Como exemplo Boschendal e L’Ormarins, ou produções artesanais como My Wyn e Black Elephant Vintners. Há também produções de Sauvignon Blanc, Merlot, Chardonnay e Semillon. 

Além disso, há restaurantes de altíssima gastronomia, como o restaurante Foliage, uma combinação entre “bistrô sofisticado e casa de fazenda contemporânea” que elevam o nível de sofisticação da experiência. A inspiração francesa que dá nome ao restaurante permeia toda Franschhoek, que é também chamado carinhosamente de “Le Quartier Français” – Quarteirão Francês , uma vez que são poucos habitantes, cerca de 17 mil, e a cultura francesa e seu savoir-fare está intimamente (e legitimamente) presente em qualquer canto da região: gastronomia, arquitetura, na arte. 

O centrinho, orientado pela rua principal Huguenot Road, é muito charmoso!  Recomendamos que você passe pelo menos uma noite pela cidade  e simplesmente curta tudo isso e relaxe. Aproveite alguns dos hotéis  como o Hotel SPA, Mont Rochelle, até porque, você provavelmente terá bebido e não poderá voltar dirigindo. 

Para circular pela região, sem se preocupar com a segurança (por ter bebido vinho, por exemplo) e desfrutando de muito conforto, reserve o Wine Tram, em especial, a HOP-ON HOP-OFF EXPERIENCE, que te permite subir e descer do trem a hora que desejar (seguindo os cronogramas da viagem) num trajeto entre seis vinícolas. Por U$S 49,6 você escolhe um pacote referente a uma linha de trem, baseada no tipo de trajeto.  Outro passeio é o tour culinário. Essa atividade inclui transporte ida e volta da Cidade do Cabo e um roteiro completo de experiências gastronômicas por, aproximadamente, U$S 149,5. 

Stellenbosch 

Stellenbosch é a primeira opção mais visitada de vinícolas e fica a 80 km da Cidade do Cabo, mas defendemos que a experiência em Franschhoek que, por sua vez, faz parte do município de Stellenbosch é bem mais charmosa e tranquila.  Stellenbosch é uma região bem maior, com 180 mil, preenchida de galerias, atrações e é até mesmo famosa por sua Universidade. 

Uma das suas características mais marcantes de Stellenbosch é que se trata da segunda cidade mais antiga da África do Sul e uma das primeiras a comercializar o Pinotage. Por lá, você encontra às quartas, sextas e sábados a feira Root4 Market que com certeza te proporcionará uma tarde bem agradável. Além disso, recomendamos que se hospede no hotel Delaire-Graff para uma imersão de bem-estar.