O navegador português Bartolomeu Dias, já ouvira sobre o Cabo da Boa Esperança e os redemoinhos d’água que sumiam com as embarcações (à la Triângulo das Bermudas) nessa região. Mas em 1488, Foi o primeiro europeu a conseguir passar por aqui, e quem lhe deu o nome de “Cabo das Tormentas”. As águas violentas o afligiram por dias e quase o fizeram desistir da expedição, como é narrado em um dos episódios da epopéia Os Lusíadas.  

Como uma boa história épica, o fim da travessia o abençoou com o que viria a ser um dos pontos de conexão mais importantes entre a Europa e as Índias; e, assim, o então cabo das Tormentas ganhou o nome da “Boa Esperança”. Essa conquista transformou o mundo das expedições: assegurou alguns desacreditados de que a terra é redonda e, inclusive, fez parte do trajeto de Colombo rumo à sua chegada à América. 

 

COMO CHEGAR

Para visitar esse lugar que faz parte da história — e com um bioma riquíssimo e único no mundo, o fynbos —, acorde cedo e se prepare para um dia longo e memorável.

O Cabo da Boa Esperança está a 70 quilômetros da Cidade do Cabo, por isso o melhor jeito é alugar um carro. Não só você vai ter a liberdade de parar nos belos mirantes ao longo da estrada; passear com tranquilidade pelo porto de Simon’s Town antes de visitar a praia mais famosa da cidade, a Boulders Beach, repleta de pinguins africanos; como também vai ter mais conforto na sua visita ao Cape Point National Park. Porque da entrada do parque até o cabo da Boa Esperança, são cinco quilômetros de distância.  

Para quem não dirige (ou não quer se arriscar a pegar estrada na mão inglesa) a opção é sair da Cidade do Cabo com o ônibus da City Sightseeing South e aproveitar para aprender sobre a região ao longo do caminho. O valor do passeio é de US$ 27,30 para adulto e US$ 16 para criança, sem incluir o ingresso do parque, que vai custar mais US$ 23 {e eles também param em Boulders Beach; clique aqui para saber tudo sobre a praia dos pinguins!}.  

NÃO DÁ PARA VER TUDO EM UM DIA

O cabo Point faz parte do Table Mountain National Park sim, a cadeia de montanhas de que faz parte a Table Mountain pega praticamente a península inteira, de norte a sul e é considerado Patrimônio da Humanidade pela Unesco desde 2004.

E são muitas as atividades. Além de poder visitar os cabos da Boa Esperança, o Maclear e o Point, que se erguem a 200 metros acima do nível do mar, o parque abriga praias selvagens e desertas (e dá para nadar). Têm espaços para piquenique e trilhas que te levam para os diferentes pontos de interesse, caso você não queira circular de carro. O farol antigo, construído em 1859 e atualmente em desuso, mas pode ser visitado. Você pode acessá-lo por um funicular, o Flying Dutchman, ou então, a pé, em um trajeto de 20 minutos. Essa última opção tem cara de aventura por conta dos fortes ventos. Ou seja, não tente subir a pé se você não estiver com um bom condicionamento físico, prefira o funicular. 

E na hora da fome? Você pode tanto levar sua cesta com pães, queijos e os excelentes vinhos sul-africanos para um piquenique, como comprar lanches no parque. Mas caso você queira uma refeição em um restaurante com uma belíssima vista para o mar, o seu endereço é o Two Oceans.

UM BIOMA RIQUÍSSIMO E ÚNICO NO MUNDO: O FYNBOS

E deixe-se maravilhar pela natureza abundante. Os 7.750 hectares do parque abrigam centenas espécies de animais e plantas! São 200 espécies de animais, entre aves, antílopes, lagartos, cobras, babuínos e zebras, e mais de 1100 espécies de plantas e flores indígenas. Aliás, essa característica lhe concede o menor mas o mais rico dos seis reinos florais do mundo. E se você estiver visitando a Cidade do Cabo no mês de junho, poderá ainda avistar baleias-franca ou jubartes, golfinhos e focas. Fique atento! Só leia atentamente as instruções sobre como se comportar caso encontre qualquer animal selvagem no meio de uma trilha. 

Se estiver de carro no caminho de volta para Cape Town, desobedeça o Waze :). Aproveite a vista incrível das praias conforme o sol vai se pondo. Passe por Scarborough, Kommetjie, Noordhoek (para os amantes de cavalo, é possível cavalgar na Long Beach) e, se estiver aberta, não deixe de dirigir pela Chapman’s Peak Drive: uma das estradas mais lindas do mundo! Siga até Hout Bay (com direito a uma parada no mirante), Llandudno Beach e logo estará de volta a Camps Bay.

Uma dica: por meio do aplicativo VoiceMap, é possível ter um  áudio tour da Reserva Natural Cabo da Boa Esperança. A única restrição é que ele segue um roteiro, caso você queira uma visita mais free-style

SERVIÇO

tablemountainnationalpark.org