Vale a pena também conhecer o vibrante centro da cidade. E caminhar pela Long Street, a mais famosa avenida. 

Com uma arquitetura que remonta a época vitoriana,  misturada ao moderno-artístico e ao ‘sem gracismo’ dos prédios comerciais.  Isto é, essa região de atmosfera agitada é ótima para conhecer melhor os capetonians.  Além disso, os jovens abastados da região viviam na Carnival Court — um bom lugar para os entusiastas do estilo vitoriano visitarem.

Em particular, passeie pela Long Street, avenida principal da cidade, e desfrute dos diversos restaurantes, lojinhas etc. ou siga pelas ruas ao redor e depare-se com delícias, como os chocolates da Honest Chocolates. Do entardecer a madrugada, a região continua bem agitada, com os bares éticos e baladas para todos os estilos. 

A apenas 10 minutos a pé, encontra-se o Museu do District Six. Dentro de uma antiga Igreja da Missão Metodista guardam-se as memórias do bairro e centro multirracial artístico District Six e de seus antigos moradores, que sofreram as consequências de um dos mais insignes episódios do Apartheid. Em outras palavras, foi uma representação máxima de quando a ideologia separatista tomou proporções palpáveis, quando 60.000 habitantes da comunidade foram removidos à força, incluindo membros da própria família que eram de raças diferentes, e seus pertences queimados.   

Por apenas U$S3 U$S 1,6 adultos e crianças (4-17), respectivamente, podem ingressar no museu. Compre com antecedência pelo site e evite filas. O museu fica aberto de segunda a sábado, das 9h às 16h, sendo a última entrada às 15h.