Por Gabriella Pawlowski

Após cinco anos do incêndio que devastou a Catedral de Notre Dame, em Paris, a reconstrução avança rumo à reabertura em 8 de dezembro deste ano. Conforme anunciado por Philippe Jost, presidente do órgão público responsável pela supervisão das obras. A primeira fase, que envolveu a remoção de escombros, foi concluída em meados de 2021, com um custo de 150 milhões de euros.

Notre Dame

As obras enfrentaram desafios devido à pandemia, exigindo medidas de segurança extras e a descontaminação do edifício.  A restauração das estruturas de madeira da nave e do coro já foram concluídas. Assim como, a limpeza do interior do templo, incluindo paredes, vitrais e decorações. Além disso, um concurso para vitrais contemporâneos também foi lançado, com instalação prevista até 2026.

Nesta fase, estão em andamento a restauração dos tetos da igreja, do coro e da agulha, juntamente com melhorias nos pisos xadrez e no mobiliário de arte interior.  Adicionalmente, um sistema de prevenção de incêndios está sendo implementado para garantir a segurança futura da catedral.

Notre Dame

O orçamento total para esta fase de reconstrução permanece abaixo dos estimados 550 milhões de euros, conforme Philippe Jost. As doações de 846 milhões de euros, resultantes do movimento global de solidariedade após o incêndio, incluirão aproximadamente 150 milhões destinados à restauração de partes exteriores erodidas antes do desastre.

A partir do outono no hemisfério norte, a esplanada e as entradas da catedral serão desobstruídas e remodeladas em colaboração com a Prefeitura de Paris. Responsável pela reestruturação dos arredores de Notre Dame até 2028. Esses esforços visam não apenas restaurar a catedral em si, mas também revitalizar todo o espaço ao seu redor, proporcionando uma experiência renovada aos visitantes e fiéis.