Na hora de criar o seu roteiro para Nápoles, a primeira grande decisão que precisa tomar é sobre a quantidade de dias que ficará por lá. A boa parte dos turistas visitam a cidade como ponto de parada para os próximos destinos, como a Costa Amalfitana, por exemplo, ficando apenas um dia para conhecê-la. No entanto, se houver a possibilidade de ficar mais, fique. Nápoles merece uma visita com mais calma, conhecendo de perto a alma apaixonada dos napolitanos.

☞ pular para…

ROTEIRO DE 1 DIA EM NÁPOLES

Se você faz parte da turma que vai passar apenas um dia, concentre-se, portanto, em visitar o centro histórico. Ir a outras partes da cidade é interessante, porém a viagem ficará muito corrida e Nápoles merece ser visitada com um pouco mais calma, ainda que em apenas 24 horas. Ao mesmo tempo, evite visitar museus que ocupem muito tempo do seu dia, a não ser que realmente faça questão de conhecê-lo, para conseguir flanar pela cidade com tranquilidade.

Para um roteiro curto de um único dia, sugerimos começar com o Duomo di Napoli, que está aberto todos os dias a partir das 08h30. De lá, caminhe por uma das ruas antigas da cidade, a Via dei Tribunali que, com apenas 800 metros, reúne cerca de 20 igrejas, como a Catedral de Nápoles e a Basílica Paolo Maggiore. Em seguida, desvie seu caminho para a Via San Gregorio Armeno, conhecida por reunir os melhores artesãos e lojas especializadas em artigos decorativos para presépios.

Da San Gregorio Armeno, vá para a Basílica de San Domenico Maggiore e Capela de Sansevero, passando pela Piazza San Domenico Maggiore. Se a fome começar a bater, siga para a Piazza Bellini, lugar preferido dos locais para um aperitivo e, portanto, cheio de possibilidades. Outra sugestão neste sentido é parar no restaurante Tandem da Via Paladino, cujo ragu é praticamente parada obrigatória.

Já bem alimentado, é hora de visitar mais igrejas: igreja do Gesù Nuovo e a Basílica de Santa Clara. De lá, vá em direção à Praça do Plesbicito passando pela via Toledo, uma das ruas comerciais mais relevantes de Nápoles. Visite a sua estação de metrô que, por si só, é uma atração turística à parte. E se caso estiver faminto só agora, a melhor opção é parar na Trattoria da Nennella para comer o tradicional prato napolitano “pasta e patate con provola“.

Ainda no caminho, visite a Galleria Umberto I, um impressionante exemplo arquitetônico do século XIX que compõe uma das galerias mais importantes do país, e o Teatro San Carlo, construído em 1737 e considerado o teatro de ópera mais antigo da Europa. A poucos metros, já estará na Praça do Plebiscito, local que conta com outros dois grandes atrativos turísticos: a Basílica de São Francisco de Paula e o Palácio Real, residência real dos Bourbon e um verdadeiro monumento graças ao seu estado de conservação. Faça uma visita guiada para apreciar sua beleza e história – desde os apartamentos das Famílias Reais até o grande teatro da corte, com tapeçarias, esculturas de mármore e afrescos adornando suas paredes.

Finalize o seu dia apreciando um belo pôr do sol nas redondezas. Aqui, a dica é escolher algum restaurante ou bar que serve aperitivo, o happy hour italiano. Dentre as boas sugestões, está uma das pizzarias mais famosas de Nápoles, o Gino Sorbillo Lievito Madre al Mare, principalmente se estiver um dia quente para se sentar nas mesas da calçada. Se já estiver mais à noite, não deixe de dar um pulo no L’Antiquario, eleito um dos 50 melhores bares do mundo.

ROTEIRO DE 2 DIAS EM NÁPOLES

Com um dia a mais, já é possível explorar algum outro bairro além do centro histórico. Ainda que Vomero e Chiaia sejam incríveis, proporcionando uma visão diferente da cidade – mais chique e organizada, é em Rione Sanità que vai conhecer, de perto, a vibração dos napolitanos e a Nápoles do seu imaginário. Não à toa, foi eleito como o único bairro italiano dentre os 51 mais descolados do mundo segundo a revista britânica Time Out. Além dele, outra sugestão, que inclusive é possível fazer dentro deste roteiro de dois dias em Nápoles, é o Bairro Espanhol.

Então, para o seu segundo dia, comece com o Museu Nacional de Capodimonte, que ocupa as maravilhosas instalações do Palácio de Capodimonte na região de Rione Sanità. Como o museu abre às 08h30, exceto às quartas, dia em que permanece fechado, é uma ótima pedida para quem gosta de turistar desde muito cedo. Em seguida, siga para as catacumbas de San Gennaro, se lhe interessar, que nada mais são do que um cemitério subterrâneo, esculpido na rocha porosa da encosta de Capodimonte, e cujo espaço abriga uma significativa coleção dos séculos IX e X. O local abre às 10h00 e as visitas guiadas acontecem de hora em hora.

Gostou da experiência? Então saiba que o bilhete das Catacumbas de San Gennaro serve para entrar também nas catacumbas de San Gaudioso, que está ao lado da Basilica di Santa Maria della Sanità. Aqui, uma dica importante: não importa o calor que esteja fazendo fora, a temperatura nas catacumbas é bastante fria, então leve um agasalho para usar durante a sua visita.

Caso tenha visitado os três lugares, provavelmente já será hora do almoço e, portanto, hora de experimentar uma das mais conhecidas iguarias de rua napolitanas: a pizza frita da Isabella De Cham Pizza Fritta. Com opções gluten free e veganas, é um dos melhores lugares para se comer em Nápoles. Experimente não só a pizza frita, como também outras friturinhas: crocché, arancini e frittatine di pasta. Para saber mais sobre essa e outras comidas típicas napolitanas, veja o nosso guia Comer e Beber em Nápoles.

Com a fome controlada, é hora de conhecer as “arquiteturas gêmeas” emblemáticas da decadência e do renascimento do distrito: o Palácio Sanfelice e o Palácio dello Spagnolo. Em ambos, os quais já foram utilizados como cenário de filme, você terá a oportunidade de admirar duas das principais obras-primas do barroco napolitano. Em seguida, vá em direção à Porta San Gennaro, o ponto de entrada simbólico da Rione Sanità.

De lá, é possível seguir em direção ao Museu Arqueológico de Nápoles, parada obrigatória para quem gosta de coleção de arte da Antiguidade. Funcionando todos os dias das 09h00 às 18h30, exceto de terça-feira, trata-se do sucessor do antigo Museu Real Bourbon, um dos mais antigos e importantes da Europa. Se sobrar tempo, pegue um metrô até a estação Toledo, que, por si só, já é uma atração turística à parte, e siga para o Bairro Espanhol. Por lá, o passeio é simplesmente flanar pela região até encontrar o grande mural do jogador Diego Maradona. No entanto, atenção! Volte antes de anoitecer, visto que o bairro não é dos mais seguros em Nápoles

ROTEIRO DE 5 DIAS EM NÁPOLES

Com 5 dias, já é possível montar um roteiro em que irá conhecer todas as facetas de Nápoles: desde a mais caótica e popular até a mais chique e organizada. Além disso, para quem preferir, também é plenamente possível substituir um dia por um dos passeios bate-volta, como Pompeia. Aqui, a flexibilidade impera, sendo somente necessário que você ajuste o cronograma da viagem conforme as suas preferências.

Comece pelo elegante bairro Vomero, um dos mais românticos da cidade e ideal para os casais. Localizada em uma área montanhosa, a região oferece uma vista espetacular para o Vesúvio e ainda conta com inúmeros pequenos bares e restaurantes familiares, o que dá um ar ainda mais especial. Além disso, é lá onde está situado um dos principais pontos turísticos de Nápoles, o Castello di Sant’Elmo. Já para quem busca uma experiência mais local, não deixe de visitar o Mercato di Antignano.

Há ainda muito para descobrir em Vomero. Piazza Vanvitelli, cujo símbolo é um antigo relógio datado da década de 1930, as vias Bernini e Scarlatti, famosa avenida comercial, e o mirante de Belvedere San Martino são algumas de suas paradas obrigatórias. Outros destaques incluem a Villa Floridiana, com seu magnífico parque e o Museo Nazionale della Ceramica Duca di Martina, e Villa Santarella, antiga residência do dramaturgo napolitano Eduardo Scarpetta.

De lá, parta para o elegante bairro Chiaia, mas, antes, parada para uma refeição especial no George Restaurant, o primeiro estabelecimento a receber duas estrelas Michelin em Nápoles. Não só os pratos são espetaculares, como também a sua vista para a cidade. Já satisfeito, chegou então a hora de explorar o bairro que irá lhe proporcionar uma imagem bastante diferente do que é Nápoles – bem distante daquela barulhente e caótica.

Visite a Villa Pignatelli, um palácio italiano que, provavelmente, é o edifício mais bonito existente ao longo da Riviera di Chiaia. Em seguida, passeie pela Villa Comunale, o maior parque de Nápoles, e, havendo tempo, não deixe de conhecer a Galleria Borbonica, onde você pode desbravar a Nápoles soterrada a alguns metros abaixo dela. Mas atenção! O tour é guiado e precisa ser reservado o horário diretamente no site.

Por fim, aprecie um um belo entardecer em Nápoles. Caso não tenha conhecido o Gino Sorbillo Lievito Madre al Mare no primeiro dia ou o bar L’Antiquario, agora é o momento mais ideal para conhecê-los. Com o dia finalizado da melhor forma possível — saboreando uma boa culinária napolitana, é a hora de voltar pro hotel ou, se ainda houver pique, conhecer a vida noturna da cidade.

Já nos outros dois dias, dedique-se a fazer algum bate-volta ou a conhecer a região de Posillipo, bairro rico, com belas praias rochosas, bons restaurantes e uma animada vida noturna. Os terraços do parque público do Parco Virgiliano, que estão situados nesta região, oferecem belas vistas do mar e da costa. Às quintas-feiras, há ainda o famoso Mercado Posillipo, cujas barracas vendem de tudo: desde roupas de grife até têxteis para o lar. Já no verão, o teatro Posillipo tem concertos e espetáculos com um ambiente maravilhoso ao pôr do sol.

Em relação às cidades para fazer um bate-volta, Pompeia e Herculano são, sem dúvidas, as mais famosas delas. Soterradas após a erupção do Monte Vesúvio em 79 DC, hoje se tornaram um sítio arqueológico que atraem milhares de turistas todos os anos. Ainda, para quem tiver mais tempo, tire um dia para conhecer o Palácio Real de Caserta, construído no século XVIII e considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, ou aproveite para então visitar de perto o Monte Vesúvio, principalmente se for um amante de atividades ao ar livre. Por fim, conheça a impressionante Ilha de Procida, local ideal para relaxar um pouco da agitação de Nápoles.

DÚVIDAS COMO MONTAR UM ROTEIRO EM NÁPOLES

A seguir, confira as principais dúvidas na hora de montar um roteiro em Nápoles:

1. Quantos dias são suficientes para visitar Nápoles?

Para conhecer apenas o centro histórico, um dia basta para Nápoles. Todavia, Nápoles tem alma e, para conhecê-la na profundidade que merece, mais dias serão necessários. Se este é seu intuito, reserve de 3 a 5 dias.

2. Qual é a melhor maneira de se locomover por Nápoles?

Ainda que a cidade não seja plana e convidada para andar a pé, há algumas regiões muito propícias para isso, como o centro histórico. Além disso, abuse do metrô, cujas estações são consideradas as mais lindas do mundo, como é o caso da estação Toledo.

3. Preciso comprar os ingressos para as atrações com antecedência em Nápoles?

Ainda que Nápoles não exija antecedência no que diz respeito às suas atrações, há programas em que reserva antecipada se faz necessária, como é o caso da Galleria Borbonica.

4. Vou gastar muito dinheiro em Nápoles?

No geral, os preços em Nápoles são acessíveis. Boa parte dos seus atrativos turísticos está nas ruas, não havendo necessidade de arcar nada a mais com isso. Ainda, se estiver no primeiro domingo do mês na Itália, monumentos, museus, galerias, escavações arqueológicas, parques e jardins monumentais do governo possuem entrada gratuita. Já para comer, há valores para todos os bolsos, mas Nápoles conta com uma gastronomia de rua que é impecável — e bastante barata para o cenário europeu.

5. Onde devo ficar em Nápoles?

Na hora de escolher onde ficar em Nápoles, é importante considerar o número de dias da viagem. Se for somente um dia ou dois dias, o centro histórico é o mais ideal. Caso tenha mais tempo na cidade, Chiaia e Vomero podem ser ótimas opções, visto que são bairros bastante charmosos e com uma ampla oferta de estabelecimentos comerciais.