Lisboa é uma daquelas cidades repleta de histórias fascinantes para contar aos seus visitantes. Desde os tempos mais remotos, das navegações e descobrimentos até os modernos dias atuais.

Atualmente, a capital de Portugal está mais popular do que nunca, suas ruas são ocupadas por moradores e viajantes de diversas partes do mundo, falando idiomas dos quatro cantos do globo. Popularidade essa, impulsionada pela combinação da mudança das leis imigratórias e pelo “boom” das redes sociais. Da internacionalização dos produtos endêmicos, receitas e sabores do país. Assim como, os novos empreendimentos da juventude portuguesa que estão dando uma nova cara e um novo propósito ao passado da capital.

Essas mudanças tem contribuído para que a cidade esteja em constante movimento. Com novas propostas de experiências imersivas, tours gastronômicos, atrações históricas, eventos musicais e internacionais. Em outras palavras, pode separar os seus calçados mais confortáveis e se preparar porque o que não vai faltar na sua viagem são opções de o que fazer em Lisboa!

☞ pular para…

PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICO DE LISBOA

Começando pela Praça do Comércio, no coração de Lisboa, você encontrará muitos pontos turísticos, como o icônico Arco da Rua Augusta, onde você pode fazer uma visita até o topo por 3 € para apreciar a bela vista da cidade e do Rio Tejo. Logo depois de visitar o Elevador de Santa Justa nessa zona repleta de turistas e lojinhas de souvenirs, faça uma pausa no café A Brasileira, no Chiado, um dos lugares preferidos do escritor português Fernando Pessoa.

Continue sua jornada até o imponente Castelo de São Jorge, com suas muralhas antigas e vistas panorâmicas. Já que está na região, bem próxima ao bairro de Alfama, aproveite para fazer uma visitinha à Feira da Ladra, um mercado de pulgas tradicional onde você pode encontrar tesouros escondidos e lembranças únicas. Em seguida, aproveite e dê uma voltinha no Eléctrico 28 para desbravar as ruas de Lisboa.

A essa altura, a fome já deve estar começando a bater. Que tal fazer uma visita ao Time Out Market, onde os sabores de Portugal e do mundo ganham vida em pratos assinados por chefs renomados? E é óbvio que você precisa guardar espaço para sobremesa. Uma boa ideia é fazer uma visitinha à loja dos famosos Pastéis de Belém. Uma dica é saborear os pastéis no gramado que fica perto da Torre de Belém. Adicionalmente, para aqueles que estão empenhados na “arte de turistar”, siga seu caminho até o Mosteiro dos Jerónimos, uma das construções mais bonitas da cidade.

(Foto: Benoit Properties)

Para além dos pontos turísticos, a cidade também é conhecida pelos seus museus e mirantes. O Museu do Fado ocupa um lugar de destaque por contar com exposições sobre uma das maiores manifestações artísticas e musicais do país, assim como a trajetória de cantores e compositores relevantes para o gênero e, é claro, uma coleção de guitarras icônicas. Em seguida, o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia e o Museu Calouste Gulbenkian estão na lista dos mais visitados em Lisboa. E não poderíamos esquecer da Casa dos Bicos, que promove a vida e obra de José Saramago e organiza diversas atividades culturais e educativas. Já em relação aos mirantes, coloque na sua lista: Miradouro de Santa Luzia, Miradouro da Senhora do Monte e Miradouro de São Pedro de Alcântara.

Mudando de perspectiva, caso seja um amante da natureza, visite o Parque Eduardo VII, o maior parque da cidade, ou explore os encantos da fauna e da flora no Jardim Botânico de Lisboa e no pitoresco Jardim do Torel, que durante os meses de verão transforma sua fonte em uma piscina aberta ao público. Já para os mais curiosos, vale super a pena explorar o Parque das Nações e as atrações ao seu redor, como o Oceanário de Lisboa. Aliás, para quem viaja com crianças, o Planetário da Marinha e o Estádio do Sport Lisboa e Benfica podem ser paradas muito interessantes para adicionar ao seu roteiro.

Por fim, ao cair da noite, visite uma das zonas mais turísticas da cidade, a Pink Street, que conta com uma multidão animada e uma variedade de bares. Já para os interessados em continuar a noite, no Bairro Alto e no Cais do Sodré a festa só termina no dia seguinte.

PRINCIPAIS PRAÇAS E RUAS DE LISBOA

Praças e ruas são, sim, pontos extremamente importantes e estratégicos em uma cidade. Saber se orientar entre as principais é uma carta na manga.  Isso porque muitas paradas de transportes se encontram nelas, assim como lojas, farmácias, supermercados e casas de câmbio.

A Praça do Comércio, também conhecida como Terreiro do Paço, destaca-se pela sua localização junto ao Rio Tejo e pela imponente estátua de D. José I. Além, de ser um importante nó de transporte público. Com conexões para várias partes da cidade por meio de metrôs, ônibus e eléctricos. Próximo dali, encontra-se a Praça Rossio, ou Praça Dom Pedro IV, com sua fonte central e calçada portuguesa característica, sendo um ponto central da cidade.

Em seguida, a Praça da Figueira, movimentada e cheia de vida, é famosa pelas suas lojas, cafés e restaurantes. Já a Praça Martim Moniz, multicultural e diversificada, oferece uma vasta gama de opções gastronômicas e culturais. No Bairro Alto, a Praça Luís de Camões é um ponto de encontro entre os lisboetas, cercado por bares e lojas alternativas, refletindo a atmosfera descontraída e vibrante do bairro.

Adicionalmente, a Avenida da Liberdade, uma das principais avenidas da cidade, é conhecida por suas lojas de luxo, excelentes opções de hospedagem e belos jardins centrais. Já no Chiado, a Rua do Carmo é famosa por suas lojas de moda e design, enquanto a Rua Garrett é uma via histórica com muitas livrarias, cafés e boutiques, refletindo a atmosfera intelectual e cultural do bairro. Por fim, a Rua da Prata, próxima ao Rossio, é uma rua movimentada com diversas opções comerciais e acesso ao Elevador de Santa Justa, proporcionando uma vista deslumbrante da cidade.

10 ATIVIDADES PARA FAZER EM LISBOA

Além dos pontos turísticos, das principais praças e ruas e afins, há ainda muito para se fazer em Lisboa. Afinal, viajar para um novo destino não é somente ‘bater ponto’ nas atrações mais famosas. Aqui, portanto, você encontrará uma lista das 10 coisas imperdíveis e fora da curva para fazer quando estiver visitando a cidade. Confira:

1. VISITAR OS MONUMENTOS QUE VIMOS NOS LIVROS DE HISTÓRIA

Vamos começar com um passeio clássico, monumentos históricos. Para nossa sorte, Lisboa é uma cidade repleta deles. Já vimos muitos deles em nossos livros de história, como o Padrão dos Descobrimentos e a Torre de Belém, que podem ser combinados com uma pausa para saborear os famosos Pastéis de Belém durante uma visita ao bairro.

O que fazer em Lisboa.

Padrão dos Descobrimentos.

No entanto, o Castelo de São Jorge e o Mosteiro dos Jerónimos são paradas essenciais para quem deseja mergulhar mais fundo na história da capital portuguesa. Embora sejam passeios pagos, vale muito a pena visitá-los. Em seguida, o Arco da Rua Augusta, a poucos passos da famosa Praça do Comércio, é uma parada quase natural durante a exploração da cidade, já que estão na zona mais central de Lisboa.

Por outro lado, sugerimos algumas rotas mais alternativas. Começando pelo Palácio Nacional da Ajuda, que é literalmente uma visita à antiga residência dos reis de Portugal. Lá, você encontrará exposições de objetos, pinturas e mobílias reais, assim como uma biblioteca majestosa. Adicionalmente, a Casa do Alentejo também é uma parada interessante para os interessados em arquitetura, gastronomia local e fotografia. Por fim, o Teatro Nacional de São Carlos, a Casa dos Bicos e o Museu dos Coches completam essa extensa lista de monumentos e atrações históricas para visitar em Lisboa.

 

2. PARTICIPAR DA FESTA DOS SANTOS POPULARES

A Festa dos Santos Populares está para Portugal, assim como a festa Junina está para o Brasil. Se você tem viagem marcada para Lisboa em junho, saiba que além de aproveitar o verão europeu, você também terá a chance de se divertir, celebrar e se jogar nas tradições da cultura portuguesa.

Oque fazer em Lisboa

(Foto: Lisbon Heritage Hotels)

Em resumo, os Santos Populares são festas e arraiais que acontecem em todo o país nas noites de Santo António, São João e São Pedro. As principais comemorações são as de Lisboa, de 12 para 13 de junho, dia de Santo António, e as do Porto, na noite de 23 para 24 de junho, quando se celebra São João.

Em Lisboa, as marchas populares de cada bairro desfilam pela Avenida da Liberdade em direção ao Rossio, enchendo a rua de moradores, turistas música e  muitas cores. A animação também rola solta nas ruas dos bairros, especialmente em Alfama, Graça, Bica, Mouraria e Madragoa. Nos largos e vielas, todos se juntam para comer caldo verde e sardinha assada, cantar e dançar até de madrugada. Outro momento interessante é a procissão de Santo António, que no dia 13 sai de sua igreja em Alfama, lugar onde ele nasceu por volta de 1193.

Falamos sério, quando dizemos que você não pode perder essa celebração se estiver com viagem marcada para Lisboa nessa época! Aliás, se quiser ficar por dentro de mais eventos na capital portuguesa, confira a nossa matéria.

 

3. PEGAR UM BARCO PARA CHEGAR AO PONTO FINAL

Essa é possivelmente uma das nossas dicas preferidas sobre o que fazer em Lisboa!  Desde que o restaurante Ponto Final fez parte de um dos episódios da série do Netflix  “Somebody Feed Phill”, o tesouro gastronômico a beira mar começou a receber o reconhecimento que tanto merece.

Ao escolher visitar o restaurante você não está indo apenas consumir uma refeição. Você está se propondo a viver uma experiência muito autêntica em Lisboa. Em outras palavras, o Ponto Final é conhecido pela sua combinação perfeita: o passeio de barco por 1,25 €, a comida bem servida, bons vinhos e a vista pouco conhecida da Ponte 25 de Abril. 

Já em relação ao menu, você encontrará o que é tradicional na mesa dos portugueses. Como os pratos, arroz de tamboril, carapauzinhos com arroz de tomate, robalo, dourada, salmão e sardinhas grelhadas. E é claro, a famosa batata ao murro. Porém, se os frutos do mar não são a sua preferência, há outras opções. Entre elas, estão o arroz de cabidela de galinha, o lombinho de porco grelhado e a vitela.

Por fim, a carta de vinhos do restaurante casa muito bem com os pratos servidos. Para os mais curiosos sobre o que “Comer e Beber em Lisboa”, confira a nossa outra matéria.

 

4. MISTURAR ARTE, LAZER E GASTRONOMIA EM UM SÓ LUGAR

Os lisboetas têm um hábito interessante de ressignificar lugares antigos, trazendo novas propostas que unem a comunidade e exploram a criatividade. Um exemplo disso é a famosa “parada turística”, a LX Factory.

O que fazer em Lisboa

(Foto: The Nomad Experience)

O que antigamente era um armazém abandonado, hoje é um dos espaços mais descolados da cidade, repleto de lojas locais, brechós, livrarias, estúdios de tatuagem e restaurantes com uma pegada vanguardista. No entanto, essa proposta não se limita apenas ao queridinho LX. Nos últimos anos, surgiram dois novos espaços com propostas semelhantes, unindo a arquitetura industrial e histórica à juventude empreendedora portuguesa.

O Mirari e o 8 Marvila entraram em cena trazendo esplanadas para degustação de comidas internacionais, exposições de arte, lojas-conceito, floriculturas e muito mais, tudo em um só lugar. É o passeio perfeito para quem se considera um “hipster“, especialmente após um dia explorando a cidade. Você pode parar para relaxar, entrar em contato com os locais, desfrutar de um happy hour com drinks e vinhos orgânicos e, claro, levar para casa uma recordação autêntica e artesanal da sua viagem.

 

5. VISITAR AS GALERIAS ROMANAS

Este é possivelmente um dos passeios mais secretos e, ao mesmo tempo, mais disputados de Lisboa. E nós da Travel vamos te explicar o porquê. Visitar as Galerias Romanas permite entender um pouco mais do passado da capital portuguesa de uma maneira bem inusitada.

(Foto: Lisboa Secreta)

Primeiro, vamos resumir essa longa história: de acordo com Paulo Cuiça, do Serviço Educativo do Museu de Lisboa, o espaço é um criptopórtico do século I, ou seja, uma estrutura feita para segurar outra que está por cima.

Uma das partes mais divertidas dessa atração são os mitos urbanos que surgiram em seu nome. Desde o século XIX, espalhou-se o boato de que as águas das galerias faziam bem aos olhos e também, se acreditava que as galerias estavam conectadas a outros espaços da cidade. No entanto, já foi confirmado que as Galerias Romanas são uma construção isolada. A água que entrou foi devido a algum evento inesperado, como um erro de construção ou um evento geológico.

Devido a essas condições, onde é necessário bombear a água para fora do local, as visitas às galerias acontecem esporadicamente em meados de março e abril, e depois em setembro, por ocasião da celebração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios e das Jornadas Europeias do Patrimônio.

Se você quiser fazer esse passeio inusitado pelo mundo subterrâneo de Lisboa, saiba que os ingressos se esgotam em questão de minutos assim que são disponibilizados no site oficial do Museu de Lisboa, e custam entre 3 € -7  €. Nossa dica é sempre ficar de olho no site oficial do museu e nas datas de abertura da bilheteria!

Afinal de contas, essa é uma oportunidade única de explorar um novo destino através de suas construções subterrâneas, acompanhado de uma breve aula de história.

 

6. ASSISTIR OS CLÁSSICOS DO CINEMA AO AR LIVRE

Este é um daqueles passeios que ganham destaque especialmente durante os meses de verão e são uma delícia! Por que ficar trancafiado no seu quarto de hotel assistindo Netflix, se entre julho e setembro você pode aproveitar sessões de cinema ao ar livre em locais icônicos como o Carmo Rooftop e a Doca da Marinha?

A proposta de cinema ao ar livre, do Cine Society, chegou recentemente à cidade mas já se tornou uma febre. Para assistir aos clássicos do cinema, é necessário comprar os ingressos com antecedência. Além disso, muitos dos filmes exibidos são indicados para todas as idades, ou seja, crianças são mais que bem-vindas. Os bilhetes custam 14 €, e como há um grande número de sessões ao longo da semana, vale a pena conferir todos os detalhes no site oficial.

Outra opção encantadora é oferecida pelo Upon Angels, uma unidade hoteleira localizada no bairro dos Anjos. Todas as quartas-feiras, às 21h, eles proporcionam uma versão mais aconchegante das sessões de cinema. O valor do ingresso também é 14 €, incluindo pipoca e uma taça de vinho. Quem vai querer perder essa oportunidade?

 

7. APRENDER A PINTAR UM AZULEJO PORTUGUÊS

Não há como ignorar a beleza e a delicadeza dos muitos azulejos presentes nas fachadas dos prédios espalhados pela capital portuguesa. Muito mais do que obras de arte, eles são também patrimônios históricos de Portugal. Não é à toa que existe um museu dedicado a celebrá-los na Rua da Madre de Deus, número 4.

Visitar o Museu Nacional do Azulejo é, sem dúvida, um passeio que você deve adicionar ao seu roteiro de viagem. Além de apreciar as obras e exposições, nós da Travel incentivamos nossos leitores a buscar novas experiências e não apenas dar “check” em pontos turísticos. Por isso, aqui vai uma dica: participe das oficinas de pintura de azulejos oferecidas pelo museu. Essa é uma maneira super divertida de compreender um pouco mais dessa técnica e levar um souvenir único para casa!

Para participar das oficinas, é necessário fazer a inscrição enviando um e-mail parase@mnazulejo.djpc.pt. Aliás, o site oficial do museu está em manutenção no momento, então, para mais detalhes, confira as redes sociais ou entre em contato diretamente com a equipe.

 

8. CONHECER AS CIDADES VIZINHAS

Explorar as cidades ao redor de um novo destino pode até soar como uma dica batida. No entanto, como Lisboa está localizada bem no “meiozinho” do país, essa é uma oportunidade boa demais para deixar passar. A sacada inteligente é fugir dos destinos mais comuns como Sintra e Cascais.

Nada contra essas cidades, mas existem destinos menos explorados a poucas horas de distância que valem super a pena, tanto para um bate e volta quanto para passar alguns dias. Confira:

Começaremos pela Comporta, uma espécie de cidade de veraneio mais requintada e aconchegante. Repleta de praias paradisíacas, boas hospedagens e excelentes restaurantes. Em seguida, considere explorar Porto Covo ou Vila Nova de Milfontes, vilas de pescadores que fazem parte da Costa Vicentina, uma das zonas mais especiais do país. Aliás, para quem tiver mais tempo, vale a pena explorá-la em uma viagem de carro até Sagres, no Algarve.

Adicionalmente, não pense que a visita às cidades costeiras fica limitada apenas às altas temperaturas. Durante o inverno em Portugal, é quando as ondas gigantes começam a se formar em Nazaré, a cerca de 1h35 de distância de Lisboa. Atraindo surfistas do mundo inteiro para a Praia do Norte, palco desse fenômeno da natureza. Para os aventureiros, saiba que esse é um passeio que não só vale muito a pena, mas que não acontece em nenhum outro lugar do mundo!

 

9. ASSISTIR AO PÔR DO SOL COM LISBOA AO FUNDO

Podemos chamar de o clássico dos clássicos? Com certeza. Não há como negar que assistir ao pôr do sol sempre ocupará um lugar de destaque na lista de o que fazer em Lisboa. Essa hora do dia tem o potencial de proporcionar um dos momentos mais especiais da sua viagem, especialmente se combinado com uma toalha no gramado, alguns petiscos, vinho e boas companhias.

O que fazer em Lisboa.

Se você está buscando por uma vibe mais tranquila ou até mesmo romântica, um bom lugar pode ser o jardim perto do Cais do Gingal, um antigo cais em Almada, na margem sul do Tejo, a apenas 7 minutos de travessia de barco do Cais do Sodré, em Lisboa. Este local oferece uma atmosfera pitoresca e mais intimista. Para fugir do óbvio, considere assistir ao pôr do sol do topo do Arco da Rua Augusta, por apenas 3 €. Outras opções  próximas são o Quiosque Ribeira das Naus e a entrada do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia.

E claro, os miradouros e rooftops não poderiam ficar de fora! O Miradouro de Nossa Senhora do Monte e o Miradouro de Santa Catarina são excelentes opções para quem busca uma atmosfera mais descontraída e agitada ao cair da noite. Para quem quiser estender o passeio, visite o terraço do Ruby Rosa, com sua decoração divertida e equipe nota 10!

 

10. DESENVOLVER UM NOVO HOBBY ENQUANTO VIAJA

Por último, mas não menos importante, incentivamos sempre nossos leitores a experimentarem coisas novas. Que tal aprender a andar de skate com um grupo de meninas que promove a inclusão e a diversidade no esporte, criando um espaço seguro para mulheres e minorias de gênero?

(Foto: Carver Skateboards)

Brincadeiras à parte, mas nós da Travel enxergamos atividades como essas como uma maneira de fazer novos amigos, sair da rotina e saborear novas sensações, tanto para quem viaja sozinho quanto acompanhado. Pensando nisso, sugerimos um encontro com o GrlSwirl Lisboa.

Além das sessões de skate, a comunidade oferece apoio e mentoria, ajudando novas skatistas a ganharem confiança. Também promove arrecadações de fundos para entidades carentes e realiza retiros ao redor do mundo. Em outras palavras, o Grl Swirl desempenha um papel vital em desafiar estereótipos e criar um ambiente inclusivo dentro sa cena do skate em Lisboa, promovendo solidariedade e empoderamento entre seus membros.

Inclusive, qualquer pessoa interessada pode participar das atividades e eventos da comunidade, que são sempre divulgados nas redes sociais. Para mais informações, siga suas plataformas ou entre em contato diretamente com as organizadoras.

Promete que, se participar, vai contar para a gente?

QUANTOS DIAS FICAR EM LISBOA

Lisboa é uma cidade grande e com múltiplas opções para os seus visitantes; por lá, sempre haverá o que fazer. Por isso, o mínimo recomendado a se passar na cidade é de 3 dias – mas o ideal é que, se possível, dedique mais tempo para que consiga curtir a capital de Portugal verdadeiramente. Afinal, viajar não é somente ‘bater ponto’ nas principais atrações turísticas – vai muito além disso e Lisboa merece ser também vivenciada e sentida com profundidade.

Dito isso, separe, portanto, alguns dias para a cidade além do mínimo recomendado. Para saber o que ver em cada dia por lá, veja a nossa página de roteiros, que traz sugestões do que fazer em Lisboa em 3, 5 e 7 dias de viagem.

DICAS SOBRE O QUE FAZER EM LISBOA

Vamos ser sinceros, pesquisar sobre um novo destino é divertido. Porém, às vezes a tarefa pode se tornar um pouco repetitiva e cansativa com o passar dos dias. No entanto, não há nada mais satisfatório do que se deparar com dicas úteis e objetivas que podem simplificar muito a sua viagem. Pensando em facilitar todo processo para você, compilamos algumas dicas sobre o que fazer em Lisboa.

O que fazer em Lisboa.

Para começar, não estamos brincando quando dizemos que Lisboa tem se tornado muito popular entre os turistas. Se estiver planejando uma viagem à capital portuguesa durante os meses de alta temporada, é crucial fazer a reserva de hospedagem com antecedência para evitar imprevistos no orçamento e situações desagradáveis. Além disso, se pretende jantar em lugares badalados ou famosos, como o Ponto Final ou O Velho Eurico, saiba que as reservas antecipadas também são essenciais para esses restaurantes.

Em seguida, uma dica inteligente é organizar o seu roteiro por bairros. Em outras palavras, visite locais próximos uns dos outros para economizar tempo de deslocamento, custos com transporte público e evitar se perder pela cidade. Adicionalmente, mantenha sempre cuidado com seus pertences em lugares movimentados. Apesar de Lisboa ser considerada uma cidade segura, batedores de carteira são muito comuns em áreas turísticas e movimentadas.

Por fim, para mais dicas sobre Lisboa, visite nossa matéria.

DÚVIDAS SOBRE O QUE FAZER EM LISBOA

Algumas dúvidas sobre o que fazer em Lisboa podem surgir na cabeça dos viajantes. Pensando nisso, elaboramos as 5 principais perguntas a respeito do assunto:

1. Quais são os principais pontos turísticos de Lisboa?

São tantos… mas vamos escolher 7, um para cada dia da semana. O Castelo de São Jorge, a Torre de Belém, os Mosteiros dos Jerónimos, o Parque Eduardo VII, o LX Factory, o Museu do Fado, o Arco da Rua Augusta e o Miradouro de Santa Luzia.

2. Devo investir em experiências locais e fora da caixa em Lisboa?

Com certeza! São através de experiências como tours gastronômicos, festas típicas, concertos e workshops que os viajantes podem ter mais contatos com os locais e cotidiano lisboeta. Aliás, opção é o que não vai faltar.

3. Quais são os passeios mais adequados de Lisboa para cada estação?

No verão, participar de festivais e passeios ao ar livre é um must! Aproveite que a cidade vai estar em um clima de férias, diversão, repleta de turistas e invista em atividades para socializar. Em contrapartida, durante o inverno, os ambientes fechados como museus e galerias são uma boa estratégia. Isto porque a combinação de frio, vento e chuva nessa época do ano pode incomodar alguns viajantes. Então, é melhor ter na manga alguns lugares confortáveis e quentinhos para visitar.

Por fim, durante a primavera e o outono, aproveite o clima mais ameno para conhecer novos cafés, pegar um livro na biblioteca e deitar no gramado dos belos parques espalhados pela capital. Inclusive, os bate volta aos arredores de Lisboa combinam perfeitamente com estas estações.

4. Visitar Lisboa caminhando é uma opção viável?

Depende! Lisboa tem muitas atrações localizadas no topo de suas colinas, o que exige uma caminhada e um esforço a mais. Para aquelas pessoas que possuem alguma restrição ou condição física, caminhar pode não ser a melhor escolha. Nesse caso, opte pelos bondinhos, elevadores ou até mesmo os tuk-tuks.

Se a ideia é não pegar transporte, a dica é planejar a rota para cada dia da viagem: foque em uma região por dia. Assim, você economiza tempo de deslocamento e saberá previamente quanto tempo gastará para chegar a cada atração do seu roteiro. Dessa forma, você evita imprevistos e se perder pela cidade.

5. Todas as atrações turísticas são pagas em Lisboa?

Não, todas não. O Jardim Eduardo VII, o Time Out Market, a Sé de Lisboa, a Praça do Comércio, por exemplo, são passeios gratuitos. No entanto, as atrações mais históricas ou populares pedem um bilhete de entrada como o Castelo de São Jorge, o Palácio Nacional da Ajuda, o Oceanário, o Planetário, o Museu Calouste Gulbenkian e outras mais.