Quanto mais tempo você está em Nápoles, mais percebe o quão único é o local e o quão autêntico é o espírito dos napolitanos. Mesmo com suas várias cicatrizes na pele, a cidade passou por um redesenvolvimento urbano que lhe trouxe riquezas culturais incomparáveis. Dentre essas, uma bastante possível de se observar pelas ruas: a “arrangiarsi”, que é a arte de sobreviver. Esta capacidade de se agarrar à vida em vez de sofrê-la, que quase se tornou um verdadeiro estilo de vida, molda o modus operandi de Nápoles — e é justamente por isso que saber as dicas locais farão toda a diferença na sua viagem.

☞ pular para…

NÁPOLES: UMA CIDADE DOS PARADOXOS

Em Nápoles, você tão logo perceberá que os napolitanos têm o seu próprio conjunto de regras para viver — e sobreviver. Graças à resiliência dos seus habitantes e à sua atitude despreocupada, a cidade resistiu e não foi pisoteada pelo turismo de massa. Como resultado por não se curvar ao que lhe era esperado, tornou-se um dos destinos mais eletrizantes e viscerais da Europa, com um passado complicado e culturalmente rico.

No entanto, ainda que cativante, Nápoles, à primeira vista, pode ser sim opressora para quem a visita despreparado. Caracterizada por uma sinfonia altamente tensa de sirenes, motos e gestos manuais, além de ser cheia de paradoxos, onde as suas virtudes e vícios coexistem, a cidade está lentamente a emergir das sombras e tem lutado para se libertar das mãos da máfia e da violência. Isso, por sua vez, reflete na atitude de seus moradores, que não à toa tornam Nápoles um lugar onde a ordem não predomina. A realidade faz sim jus à sua fama.

Por isso, para descobrir a verdadeira alma de Nápoles, é preciso ser tão resiliente quanto aos napolitanos – por vezes, até apático às suas energias cruas e caóticas. Em contrapartida, saiba que seus esforços lhe trarão ricas recompensas. Inúmeras conversas espontâneas, habitantes hospitaleiros, paisagens de tirar o fôlego e um cenário gastronômico com sabores que dificilmente sairão de sua memória são alguns dos exemplo do que a cidade pode lhe oferecer. O conselho é experimentar e vivenciar Nápoles sem preconceitos ou estereótipos, mas sem se descuidar de seus pontos de atenção — senão a possibilidade de ser atropelado, por exemplo, por um motociclista mais desatento que você poderá ser grande.

DICAS SOBRE OS COSTUMES DE NÁPOLES

Ao visitar Nápoles, é útil conhecer alguns dos costumes e tradições locais para se integrar melhor e aproveitar ao máximo sua viagem. Afinal, a cidade conta com inúmeras pequenas regras sociais que são de extrema importância ter conhecimento antes de visitá-la. Chegando lá, basta virar a cabeça e observar os moradores  realizando seus rituais diários, como comprar pão ou conversar com o vendedor de frutas. Diga-se de passagem, será o espetáculo mais cativante a que você assistirá.

Neste aspecto, é importante frisar que os napolitanos pessoas têm um espírito desenjaulado; quer dizer, eles vivem como querem, ainda que existam algumas regras sociais muito bem estabelecidas. Com isso, a cidade tem falhas óbvias e você nunca saberá em que vai esbarrar ao virar a esquina: desde paredes enormes com pinturas do jogador argentino Maradona a mulheres idosas pendurando suas roupas em um varal que corta a rua de cabo a rabo. Ainda, precisa contar com a sorte para não ser atropelado por um motociclista, o qual possivelmente estará sem capacete e, por que não?, segurando um bebê recém-nascido com uma de suas mãos.

Dentre os costumes, a religião católica dita alguns deles. Festas e procissões, por exemplo, são bastante comuns, especialmente as dedicadas ao padroeiro da cidade, São Januário. Na mesma medida, as famílias também são o centro de algumas tradições e é comum vê-las reunidas em eventos, assim como nos finais de semana. Inclusive, falando em reuniões, não espere pontualidade por parte dos napolitanos.

As relações sociais são calorosas e acolhedoras e, por isso, não hesite em cumprimentar as pessoas com um aperto de mão ou, se for mais íntimo, com dois beijos no rosto — mas sempre começando pela bochecha esquerda. Aqui, vale o lembrete: os napolitanos são conhecidos por usar muitos gestos nas conversas, portanto não se surpreenda com o uso expressivo das mãos. Do mesmo modo, não fique assustado se o tom de voz estiver mais alto que o normal. Possivalmente, não será uma briga, mas apenas uma conversa mais acalorada.

DICAS SOBRE GASTRONOMIA EM NÁPOLES

Falar dos costumes de Nápoles e não citar em um tópico à parte os rituais que vão à mesa é não trazer uma das principais essências de seus moradores. Afinal, na cidade, há costumes que são tão fielmente seguidos à risca que se trata de uma ofensa não obedecer à tradição. Comer na Itália é uma arte, da qual se deve respeito. Do contrário, não espere simpatia por parte dos italianos.

Antes de tudo, uma coisa que precisa entender é que a Itália trata a sua gastronomia de modo regional. Isto é, se há algo tipicamente napolitano que deseja experimentar, saiba que você vai encontrá-lo apenas em Nápoles — talvez, em seus arredores, o que significa que não haverá aquele prato em outra região do país. Ou seja, nem tente pedir um alla genovese, massa tradicional da cidade, em Florença, por exemplo, pois não a encontrará. O motivo disto é simples: os italianos priorizam o frescor de seus ingredientes. É da horta direto pra mesa.

Em relação a arte do mangiare, siga os costumes à risca e mergulhe verdadeiramente na cultura local, tenha em mente o seguinte:

  1. Diferente do Brasil, o café da manhã italiano é basicamente composto por café puro ou cappuccino e cornetto, que é similar ao croissant e normalmente doce. Inclusive, um dado importante: cappuccino é servido tão somente nesta refeição por dia — se não quiser dar na cara que é um turista, jamais peça a bebida depois das 11h00.
  2. As refeições principais são feitas por etapas. Ou seja, você começa com antipasto, depois pede o primo piatto, que são as massas e risotos, basicamente, e, em seguida, o secondo piatto, que é a proteína animal. Ao final, por que não o contorno, que é a salada que fará você digerir toda a comida? Vale ressaltar que todos os pratos são grandes, então peça um antes de seguir em frente com o outro.
  3. Pelo fato das refeições serem servidas por etapas, não existe, na Itália, a possibilidade de ter massa e proteína no mesmo prato. E nem tente pedir — é melhor decidir se vai comer somente uma ou outra – se a fome permitir, por que não as duas? Mas separadamente, é bom reforçar!
  4. Optou pelo primo piatto e vai escolher uma massa com frutos do mar, funghi porcini ou tartufo? Então esqueça o queijo — os italianos simplesmente abominam essa combinação.
  5. Jamais corte o macarrão, pois isso é considerado quase crime em terras italianas. Para te ajudar, use uma colher de apoio para enrolar a massa no garfo.

Outra coisa importante para saber: se você tiver fome entre 17h e 20h, pode optar por um aperitivo, que é basicamente um happy hour italiano. No caso, você pede uma bebida alcoolica e irão lhe servir, como acompanhamento, pequenos petiscos do buffet do bar. E o melhor: de graça! Muitas vezes, esses pequenos petiscos não são tão pequenos assim e já são mais do que suficientes para um jantar. Para quem não precisa de grandes refeições nesta hora do dia, acaba sendo uma baita pedida — além de econômica, é claro.

Por fim, mais uma dica relevante: ainda que dificilmente vá comer uma refeição de fato ruim em Nápoles, é bem provável que caia em algumas pegadinhas se não estiver esperto e atento. A principal delas é entrar em qualquer restaurante do centro da cidade, justamente onde existem inúmeros estabelecimentos brigando a cotoveladas por turistas famintos. Se houver alguém em sua porta chamando você para entrar com menu turístico em mãos, fuja. Provavelmente, sua experiência será bem pouco memorável — e o pior, com um péssimo custo x benefício.

DICAS SOBRE OS HORÁRIOS DE NÁPOLES

A respeito dos horários dos estabelecimentos de Nápoles, uma das principais informações que precisa saber é que muitos deles, especialmente em áreas menos turísticas, fecham durante a “sesta” (pausa do almoço), que geralmente acontece das 13h00 às 16h00. Além disso, durante os feriados nacionais, o comércio pode ter horários reduzidos ou estar fechado. Portanto, com as devidas exceções, é extremamente importante se planejar para não dar de cara com as portas fechadas.

Já em relação às refeições, saiba que, em Nápoles, elas normalmente acontecem mais tarde se comparado com outros países, como o Brasil. O almoço começa às 13h00 e perdura até 15h00, enquanto o jantar acontece a partir das 20h00, mas é bastante normal se estender até 23h00. Por sua vez, o café da manhã é apenas um café acompanhado com um cornetto, que é similar a um croissant doce, então pode ocorrer a qualquer momento do dia. No entanto, lembre-se de que o cappuccino só é servido até 11h00!

DICAS SOBRE SEGURANÇA EM NÁPOLES

Nápoles é uma cidade vibrante e cheia de vida, mas, como qualquer grande cidade, tem suas áreas de preocupação em termos de segurança. Como dito, está lentamente a emergir das sombras e tem lutado para se libertar das mãos da máfia e da violência. Todavia, o cenário mudou de uns tempos para cá. Se a cidade já foi considerada como um local perigoso, hoje, depois de tantas mudanças neste sentido, ela não pode ser mais rotulada pelo seu passado.

O crime mais comum em Nápoles é o furto, especialmente em áreas turísticas — bolsos, bolsas e mochilas são os principais alvos, então atenção aos pickpockets. Como em muitas cidades turísticas, esteja também atento a possíveis golpes, a exemplo daqueles que envolvem ajuda “amigável” ou ofertas de produtos ou serviços. Em contrapartida, saiba que assaltos violentos, diferentemente do Brasil, são raros, mas é sempre bom estar atento, principalmente à noite e em áreas menos movimentadas ou periféricas, como Scampia e Secondigliano, cuja reputação é de serem mais perigosas devido à presença de atividades criminosas.